niveis-de-dominio-do-ingles-CEFR-UP-Language

Conheça os 6 níveis de domínio do inglês da classificação europeia

No Brasil, é comum encontrarmos vagas de emprego que descrevem os níveis de domínio do inglês exigido como básico, intermediário, avançado ou fluente. Da mesma forma, essa é a classificação utilizada por muitos profissionais em seus currículos.

O problema dessa nomenclatura é que ela é muito genérica e subjetiva. Na prática, um profissional que autodenomina seu conhecimento como básico pode ter mais desenvoltura para utilizar o idioma no trabalho do que outro que diz ter conhecimento intermediário.

Como então entender objetivamente o conhecimento em um idioma que uma vaga de trabalho requer e acertar na contratação? Ou mesmo como identificar o nível de inglês corretamente no currículo para se candidatar a uma vaga de emprego?

A dica é utilizar um padrão internacional de classificação e descrever o conhecimento em termos de habilidades. Em muitos países, principalmente na Europa, é comum utilizar os níveis do CEFR (Quadro Comum Europeu de Referência para Línguas), que subdivide o conhecimento do inglês em 6 níveis, sendo A1 o mais básico e C2 o mais avançado.

Para você entender melhor, descrevemos abaixo os 6 níveis de domínio do inglês de acordo com padrão CEFR. Acompanhe!

1. Inglês básico

Nível A1

O indivíduo consegue se comunicar de forma limitada e simples, desde que o seu interlocutor fale clara e pausadamente. Possui vocabulário básico e é capaz de expressar necessidades simples, dar informações pessoais e detalhes biográficos. Compreende e utiliza expressões familiares e correntes, assim como enunciados comuns que visam satisfazer necessidades imediatas.

Nível A2

Possui um repertório léxico e estrutural ainda limitado, mas já é capaz de requisitar, trocar informações simples e descrever eventos com maior precisão. Exprime números, quantidades, preços, datas e medidas simples. É capaz de lidar com situações cotidianas previsíveis. Está apto a participar como ouvinte em reuniões e conference calls e também a ler e escrever e-mails simples.

[rock-convert-cta id=”7543″]

2. Nível intermediário

Nível B1

Consegue explorar uma grande variedade de linguagem simples com flexibilidade para expressar muito daquilo que quer transmitir. Se comunica adequadamente em contextos profissionais de rotina, compreende informações factuais encontradas nas situações do dia-a-dia e é capaz de manter uma conversação. Está apto a participar de reuniões, conference calls, ler textos técnicos, ler e redigir e-mails.

Nível B2

Consegue expressar claramente ideias e opiniões sobre ampla variedade de tópicos, além de compreender e trocar informações com segurança. Possui comando ativo dos aspectos essenciais da língua. Comunica-se com competência e independência em muitas situações profissionais e sociais. Tem desenvoltura para fazer viagens de negócios e participar ativamente de eventos e reuniões internacionais.

3. Nível avançado

Nível C1

Expressa suas opiniões com bastante clareza. Negocia e discute com segurança. Possui comando suficiente da língua para conseguir adotar uma estrutura apropriada em várias circunstâncias diferentes. Avalia situações, identifica problemas e oferece soluções. Consegue assumir um papel de liderança ao iniciar e conduzir uma conversa. Está apto a realizar apresentações, reuniões, conference calls, negociações, escrever relatórios, artigos e e-mails, integrar e liderar equipes multiculturais.

Nível C2

Possui domínio pleno do idioma, em suas diversas nuances e sutilezas. Se expressa com espontaneidade, sendo capaz de construir e reconstruir argumentos utilizando estruturas e vocábulos altamente sofisticados. Está apto a assumir posições estratégicas de liderança que exigem expatriação.

Um aspecto interessante a se considerar a respeito dos níveis de proficiência definidos pelo CEFR é que o processo de aprendizagem para passar de um nível a outro requer 120 horas de estudo. Dessa forma, um profissional que possui nível de proficiência A2 e que deseja assumir um cargo que requer viagens internacionais constantes, precisará de 240 horas de treinamento para alcançar o nível B2 exigido para a vaga.

Assim, entender os níveis de domínio do inglês de acordo com a classificação europeia permite tanto avaliar com maior assertividade os requisitos e candidatos a uma vaga, quanto planejar as ações de treinamento necessárias para desenvolver a competência internamente na empresa, seja por meio de aulas in company, cursos on line ou imersão individual para executivos. Todo esse processo pode ainda ser facilitado com a contratação de uma  consultoria de idiomas, capaz de diagnosticar as necessidades de treinamento da empresa e desenvolver um plano de capacitação customizado.

Entre em contato com nossos especialistas e saiba mais como a UP Language pode ajudar na capacitação em idiomas da sua empresa.

Se este post foi importante para você, assine nossa newsletter e compartilhe esse artigo nas suas redes sociais.

[rock-convert-cta id=”16376″]

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber nossas atualizações por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.