Conheça os 6 níveis de domínio do inglês da classificação europeia

Oferecer treinamentos empresariais e investir na qualificação e retenção de talentos é uma forma de valorizar o seu colaborador e contribuir para o desenvolvimento da sua empresa. Existem vários níveis de domínio do inglês, segundo o padrão europeu, e é importante levá-lo em conta, já que o “básico”, “intermediário” ou “avançado” que consta no currículo das pessoas costuma ser conceitual, um pouco vago em termos gerais.

Se levarmos em conta que, para passar de um nível a outro, são necessárias cerca de 120 horas de estudos, oferecer aulas in company, contratar uma consultoria de idiomas e implementar uma política de idiomas são bons exemplos de ações que ajudam a preparar as pessoas nesse sentido. Antes de tudo, entretanto, é preciso conhecer o nível de inglês dos seus colaboradores. Afinal, ele servirá como ponto de partida para a preparação das aulas.

Para você entender melhor, listamos abaixo os níveis de classificação de conhecimento em idiomas estrangeiros, segundo os critérios europeus. Acompanhe!

1. Inglês básico

Nível A1

O indivíduo consegue se comunicar com nativos de maneira simples. Ele está apto a usar expressões comuns do dia a dia, responder a perguntas pessoais e proferir frases comuns para satisfazer necessidades básicas, como pedir comida em um restaurante ou solicitar informações sobre uma via de acesso.

Nível A2

Nesse nível, já é possível descrever, com maior precisão, certos aspectos de sua vida pessoal. O indivíduo já consegue fazer compras sem grandes dificuldades, procurar emprego e estabelecer comunicações relativamente mais elaboradas com nativos. No trabalho, consegue estabelecer pequenos diálogos com linguagem simples.

2. Nível intermediário

Nível B1

O indivíduo já consegue falar sobre atividades de trabalho. Ele está apto a emitir opiniões simples sobre determinados temas e criar pequenos textos descritivos sobre itens de catálogo, por exemplo.

Nível B2

Aqui, textos mais complexos e até mesmo técnicos já podem ser compreendidos. O indivíduo entende e se faz compreendido sem grandes dificuldades e fala com relativa fluência e naturalidade. O indivíduo já consegue acompanhar apresentações e discursos em inglês.

3. Nível avançado

Nível C1

O indivíduo já é capaz de interpretar textos mais longos e complexos, mesmo no que diz respeito a ideias e conceitos implícitos. No trabalho, ele pode acompanhar negociações, expondo diferentes pontos de vista e redigir textos e documentos com facilidade.

Nível C2

É o mais alto nível de fluência, que pode ser equiparado a um nativo do idioma. Isso porque o indivíduo compreende tudo o que lê e ouve, fala e escreve com facilidade, e identifica as mais sutis diferenças de significados e pronúncias.

Antes de oferecer um treinamento de idiomas em sua empresa, é importante reconhecer esses níveis em seus colaboradores. Para isso, existem testes oficiais, capazes de avaliar com precisão tais questões. O TOEIC é um bom exemplo, e costuma ser amplamente aplicado para fins mais profissionais.

Se este post foi importante para você, não deixe de assinar a nossa newsletter e tenha acesso a outros conteúdos igualmente importantes para o desenvolvimento da sua empresa.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber nossas atualizações por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.